Título do SiteLuiz Alberto Silveira
Ensinamentos que a vida traz
Capa Textos Perfil Livros à Venda Prêmios Contato
Textos
O que faço da minha vida , faço para mim e para todos
O que faço da minha vida, faço para mim e para todos
Luiz Alberto Silveira

Não é porque certas coisas são difíceis que não ousamos; é justamente porque não ousamos que tais coisas são difíceis. (Seneca)

Tua vida é a matéria prima que modelas, ajustas, estendes e reduzes, mostrando o quanto dominas e entendes da arte de viver. Buscas felicidade, encontros e entendimentos, conforto e harmonia, realizações e conquistas que neutralizem tormentas e medos, dando lugar a sonhos e esperanças, paz interior e capacidade de exprimir o amor que tens pela vida, pelos teus e por tudo.  Amor pela convivência com o outro e com a natureza. Abstraia e evita as armadilhas e impurezas que contagiam e contaminam, criando tensões, amarguras e percalços no teu caminhar que atam nós em tua mente. Não consegues desvencilhar-te das agonias quando o negativismo e o pessimismo te consomem. Quando teus desejos não são satisfeitos reages sem entender os motivos e as causas das coisas que não gostas, que tiram a possibilidade de seres feliz. Apesar de tudo e de todos, está dentro de ti e de ti depende a possibilidade de te libertares de tudo que te consome. Observa a natureza e suas leis de equilíbrio, olha com sabedoria para o pecado e a virtude, tenta entender as razões da realidade que experimentas e assim conhecer mais e conhecer-te melhor.
E com isto poderás conter certas reações verbais e físicas que fazem sofrer a ti e aos demais, poderás expurgar pensamentos e sentimentos que atormentam teu sono, poderás aproximar mais aqueles que amas. Não percas tempo, liberta-te! Desfruta tua vida, da beleza da natureza; sinta a poesia do vento zunindo, da chuva caindo, do sol aquecendo, das flores que se abrem, da criança sorrindo, a feição calma e profunda do idoso, a poesia nos olhos do teus filhos e netos. Não retardes em sentir a mão que acaricia, o abraço que arrepia, o beijo sentido que se desfaz lentamente, o olhar que aquece o coração, o trabalho laborioso e fraterno que constrói, o estar junto que recomenda repetição e a alegria buscada que,
encontrada, te deixa prenhe de emoção. Somente assim encontrarás teu Deus e o Deus de todos, teu êxtase espiritual! E verás, fechando os olhos e olhando o céu que só teu espírito vê, que tudo isto é bom e faz parte de ti e é para todos. Assim, não haverá nada a perdoar e obter perdão. A vida que tens hoje é única e do jeito que é não se repetirá. Que seja a melhor vida, neste estágio, para a eternidade levar. Todo o resto de desamor que hoje ouves e vês são iniquidades de corações endurecidos; mentiras que são, passarão. Que sejas feliz e te comportes mostrando o quão feliz és.
Luiz Alberto Silveira
Enviado por Luiz Alberto Silveira em 22/06/2021
Comentários
Capa Textos Perfil Livros à Venda Prêmios Contato